sexta-feira, outubro 29, 2010

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou carta aberta nesta sexta-feira (22) ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Com o título "Sem medo do passado", ele classifica a estratégia do atual chefe do Palácio do Planalto como "petismo-lulista", na qual, segundo ele, Lula esquece dos avanços ocorridos anteriormente ao seu governo, que sustentaram o desenvolvimento que o País viveu nos últimos anos.

A carta lista programas e investimentos realizados na gestão FHC na presidência da República, como a criação do Plano Real e os benefícios que a privatização do sistema Telebrás trouxe para o povo brasileiro, entre outros, além de chamar de mentirosa a declaração petista de que o PSDB "não olhou para o social".



Leia a carta na íntegra abaixo:



"O presidente Lula passa por momentos de euforia que o levam a inventar inimigos e enunciar inverdades. Para ganhar sua guerra imaginária, distorce o ocorrido no governo do antecessor, autoglorifica-se na comparação e sugere que se a oposição ganhar será o caos. Por trás dessas bravatas está o personalismo e o fantasma da intolerância: só eu e os meus somos capazes de tanta glória. Houve quem dissesse "o Estado sou eu". Lula dirá, o Brasil sou eu! Ecos de um autoritarismo mais chegado à direita.
Lamento que Lula se deixe contaminar por impulsos tão toscos e perigosos. Ele possui méritos de sobra para defender a candidatura que queira. Deu passos adiante no que fora plantado por seus antecessores. Para que, então, baixar o nível da política à dissimulação e à mentira?
A estratégia do petismo-lulista é simples: desconstruir o inimigo principal, o PSDB e FHC (muita honra para um pobre marquês). Por que seríamos o inimigo principal? Porque podemos ganhar as eleições. Como desconstruir o inimigo? Negando o que de bom foi feito e apossando-se de tudo que dele herdaram como se deles sempre tivesse sido. Onde está a política mais consciente e benéfica para todos? No ralo.
Na campanha haverá um mote - o governo do PSDB foi "neoliberal" - e dois alvos principais: a privatização das estatais e a suposta inação na área social. Os dados dizem outra coisa. Mas os dados, ora os dados... O que conta é repetir a versão conveniente. Há três semanas, Lula disse que recebeu um governo estagnado, sem plano de desenvolvimento. Esqueceu-se da estabilidade da moeda, da lei de responsabilidade fiscal, da recuperação do BNDES, da modernização da Petrobras, que triplicou a produção depois do fim do monopólio e, premida pela competição e beneficiada pela flexibilidade, chegou à descoberta do pré-sal.
Esqueceu-se do fortalecimento do Banco do Brasil, capitalizado com mais de R$ 6 bilhões e, junto com a Caixa Econômica, libertados da politicagem e recuperados para a execução de políticas de Estado.
Esqueceu-se dos investimentos do programa Avança Brasil, que, com menos alarde e mais eficiência que o PAC, permitiu concluir um número maior de obras essenciais ao País. Esqueceu-se dos ganhos que a privatização do sistema Telebrás trouxe para o povo brasileiro, com a democratização do acesso à internet e aos celulares, do fato de que a Vale privatizada paga mais impostos ao governo do que este jamais recebeu em dividendos quando a empresa era estatal, de que a Embraer, hoje orgulho nacional, só pôde dar o salto que deu depois de privatizada, de que essas empresas continuam em mãos brasileiras, gerando empregos e desenvolvimento no país.
Esqueceu-se de que o país pagou um custo alto por anos de "bravata" do PT e dele próprio. Esqueceu-se de sua responsabilidade e de seu partido pelo temor que tomou conta dos mercados em 2002, quando fomos obrigados a pedir socorro ao FMI - com aval de Lula, diga-se - para que houvesse um colchão de reservas no início do governo seguinte. Esqueceu-se de que foi esse temor que atiçou a inflação e levou seu governo a elevar o superávit primário e os juros às nuvens em 2003, para comprar a confiança dos mercados, mesmo que à custa de tudo que haviam pregado, ele e seu partido, nos anos anteriores.
Os exemplos são inúmeros para desmontar o espantalho petista sobre o suposto "neoliberalismo" peessedebista. Alguns vêm do próprio campo petista. Vejam o que disse o atual presidente do partido, José Eduardo Dutra, ex-presidente da Petrobras, citado por Adriano Pires, no Brasil Econômico de 13/1/2010.
"Se eu voltar ao parlamento e tiver uma emenda propondo a situação anterior (monopólio), voto contra. Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 milhões de barris de reservas. Dez anos depois, produz 1,8 milhão por dia, tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela". (José Eduardo Dutra)
O outro alvo da distorção petista refere-se à insensibilidade social de quem só se preocuparia com a economia. Os fatos são diferentes: com o Real, a população pobre diminuiu de 35% para 28% do total. A pobreza continuou caindo, com alguma oscilação, até atingir 18% em 2007, fruto do efeito acumulado de políticas sociais e econômicas, entre elas o aumento do salário mínimo. De 1995 a 2002, houve um aumento real de 47,4%; de 2003 a 2009, de 49,5%. O rendimento médio mensal dos trabalhadores, descontada a inflação, não cresceu espetacularmente no período, salvo entre 1993 e 1997, quando saltou de R$ 800 para aproximadamente R$ 1.200. Hoje se encontra abaixo do nível alcançado nos anos iniciais do Plano Real.
Por fim, os programas de transferência direta de renda (hoje Bolsa-Família), vendidos como uma exclusividade deste governo. Na verdade, eles começaram em um município (Campinas) e no Distrito Federal, estenderam-se para Estados (Goiás) e ganharam abrangência nacional em meu governo. O Bolsa-Escola atingiu cerca de 5 milhões de famílias, às quais o governo atual juntou outras 6 milhões, já com o nome de Bolsa-Família, englobando em uma só bolsa os programas anteriores.
É mentira, portanto, dizer que o PSDB "não olhou para o social". Não apenas olhou como fez e fez muito nessa área: o SUS saiu do papel à realidade; o programa da aids tornou-se referência mundial; viabilizamos os medicamentos genéricos, sem temor às multinacionais; as equipes de Saúde da Família, pouco mais de 300 em 1994, tornaram-se mais de 16 mil em 2002; o programa "Toda Criança na Escola" trouxe para o ensino fundamental quase 100% das crianças de sete a 14 anos. Foi também no governo do PSDB que se pôs em prática a política que assiste hoje a mais de 3 milhões de idosos e deficientes (em 1996, eram apenas 300 mil).
Eleições não se ganham com o retrovisor. O eleitor vota em quem confia e lhe abre um horizonte de esperanças. Mas se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa. Nada a temer.
Fernando Henrique Cardoso"
                          Sexta Esdrúxula


Destaque nesta sexta é a incrível competição de “Air Sex” que aconteceu ontem em Nova Orleans (EUA). O povo americano se mostra uma potência mundial também em “esdruxulice”.
A competição consiste em simular o ato sexual, vale começar desde o encontro, sedução e preliminares, mas quem quiser ir direto ao ponto não tem problema, pois segundo o regulamento cada participante conta com somente 2 minutos para expor toda sua “pegada”.
Isso que é uma rapidinha esdrúxula !

quarta-feira, outubro 27, 2010


                                   Super NBA


A Marvel em parceria com a ESPN que detêm diretos de transmissão de parte dos jogos da NBA, ambas de propriedade da Disney, decidiram criar desenhos para cada franquia do principal campeonato de basquete do mundo, misturando os personagem dos quadrinhos, à astros da NBA, com isso o time do Boston Celtics se transformaram em quinteto fantástico, Kobe Bryant virou Homem de Ferro, etc. Uma grande jogada de marketing para promover ambas as marcas. Vale a pena conferir.

terça-feira, outubro 26, 2010

              Foi suicídio!
Falando em estrelas instantâneas, este espaço hoje está de Luto devido ao falecimento da maior estrela da copa de 2010. O polvo Paul nos deixou hoje, ele que apesar de brilhar tanto, e trabalhar duro no acerto de 100% dos resultados da Copa, não fazia marketing pessoal, era um humilde Cefalópode. Nunca te esqueceremos! Você provou que não precisamos da filosofia dos "coitados", e sim de trabalho duro e talento.Descanse em paz polvo Paul!
                                                      

                          O país do Big Brother!

Quando vejo as pessoas comparando os governos Lula e FHC, inclusive a candidata nos debates e em seu programa eleitoral, fico pasmo com a velhice deste discurso. Tão velho que vão se lá quase uma década, pois há oito anos você ia para academia de walkman (pois o Discman era uma novidade que estava chegando), o Papa ainda era João Paulo II, e celular de ponta era o Startac. Coincidentemente ou não, há oito anos a Globo lançou o primeiro Big-Brother, e desde então a cultura do “coitado” é ventilada por todo território nacional, e de Bam-Bam a Bam-Bam, dos chavões: -“Faz parte!” a: -“No que se refere!” O país vive cada vez mais a cultura dos realities shows. Programas estes que banalizam a fama e o talento, derramando a cada programa mais de uma dezena de “artistas instantâneos” na mídia. A mediocridade não se limita aos realities shows, vide as bandas nacionais, que surgem e somem na mesma velocidade, e o caso Geisy Arruda, que também por coincidência acaba de sair de um programa do tipo, o passaporte para o sucesso no Brasil é ser “coitado”, temos casos de “coitados” em quase todos os setores da mídia, o Brasil é uma verdadeira indústria de “coitados”, no cinema em filmes como: Os dois filhos de Francisco, e a ficção Lula o filho do Brasil. O atual ex- presidente (pois trabalha mais na campanha do que em Brasília desde o início das eleições) é ex metalúrgico, gente do povo (Que em oito anos viu seu filho sair de assalariado a mega empresário bilionário. Outro “coitado” que venceu), e em sua psicopatia para mostrar que venceu o maior Big-Brother do país, e que exerce um poder absoluto sobre a massa escolheu como candidata uma mulher do nada, uma verdadeira incógnita, outra “coitada” injustiçada por uma “campanha difamadora” em detrimento de alguém como o governador da Bahia, que me parece bem mais correto e preparado para o cargo de maior mandatário da nação. Só lhe falta o apelo Big-Brother, pois não é mulher, não é instantâneo, tem preparo e história. Cada vez mais concordo com Rita Lee, as eleições deveriam ser uma espécie de Big-Brother, trancaríamos os candidatos numa casa cheia de câmeras e o povão iria eliminando um candidato por semana. Pelo menos seria mais coerente com a cultura de promover “coitados”.

quinta-feira, outubro 21, 2010


O quase profeta Tiririca

Nestas eleições evidenciamos a falência do sistema, um verdadeiro mar de lama e corrupção. De um lado um governo onde a psicopatia sem limites faz com que, até pessoas ligadas por ideais dignos acreditem que esta atual gestão é maravilhosa, beirando a perfeição, como sugeriu o psicopata chefe sobre o SUS (dizendo até que irá oferecer o modelo ao Obama), sobre sua gestão, e sobre sua futura candidata. Candidata esta que a cada dia tem assunto mais importante. Ao falar para professores: “O mais importante é a educação”. Ao falar com agricultores: “O mais importante é o campo”. Oras, se o governo atual é tão perfeito, porque existem temas tão importantes e prioritários?
Pipocam denúncias, a última e mais séria é a investigação da polícia federal onde ficou comprovado que o comitê da campanha Petista está diretamente envolvido. Assunto gravíssimo, pois coloca em xeque a democracia e os direitos do cidadão, fugindo do âmbito político e se caracterizando em formação de quadrilha, terrorismo (não surpreendendo uma possível conexão com as Farc), onde petistas que também estavam envolvidos no inquérito sobre a morte de Celso Daniel, trabalharam na quebra de sigilos, para formação de dossiês para futuro uso eleitoral, que talvez explique a sonolenta campanha da oposição, oposição esta que se enrolou em explicar atos de um secretário, nada comparado com o volume de corrupção incrustada no planalto (Erenice, Eletrobrás, etc.), mas provando novamente que o sistema falhou. Ai você pode dizer : Poxa temos a opção do PV!
Não podemos negar que a campanha da Marina Silva foi algo positivo, e sua postura no segundo turno honrou seu discurso, mas o que dizer ao ver lideranças do partido apoiando a candidata que demitiu do cargo de ministra do meio ambiente a própria Marina, desesperada em alavancar um PAC que nunca saiu do papel, e sem a mínima preocupação com o tema sustentabilidade? Isto deixa claro que para várias lideranças do PV, cargos são mais importantes que árvores.
Em qualquer lugar do mundo, após estes inúmeros atos de corrupção o PT nem existiria mais. Partido este que um dos fundadores, o Sr. Hélio Bicudo externou em entrevista que irá votar em José Serra, para tentar estancar o mar de corrupção e por julgar o candidato Tucano mais competente, escancarando a incompetência da candidata do PT. Candidata que tem como articulador de campanha, um cidadão que quando postulante a condição de candidato disse que também votaria em José Serra, e chamou o Vice da candidata de chefe de quadrilha!
Quando deixamos de olhar a isto tudo com discernimento?
Quando pessoas de bem assistiram a tudo isso sem ver nenhuma distorção de valores?
Será que vamos precisar ver para crer?
Vocês têm certeza que querem compactuar com isso tudo?
Você não precisa votar no candidato do PSDB, não precisa buscar um menor dos males! Mas não seja conivente com este sistema corrupto, não seja conivente com esta armação criada para um continuísmo, que na mente psicopata do atual presidente, é uma simples questão de ego, para escancarar aos quatro cantos do país seu poder e carisma. Não faça parte disso, assistam a entrevista do Hélio Bicudo, saibam que este país é muito maior que o umbigo do Sr. Luis Inácio. E como falei, se o Serra não é solução, não vote na parte do problema, anule seu voto.
Pois o quase profeta Tiririca estava equivocado, e pior do que está, fica sim senhor!

http://www.youtube.com/watch?v=B6zLuPMd_LU
http://www.youtube.com/watch?v=PfWnR2e9SFg
http://www.youtube.com/watch?v=pOO1M8OZpEI

domingo, outubro 17, 2010


O Brasil será governado pela esquerda, caso a candidata Dilma vença. Mas não é a esquerda do comunismo, e sim a mão esquerda do Lula, finalmente descobrimos onde estava a mão dele nesta foto...E a Dilma 2010 já vem na versão olhos de águia na melhor versão Falcon. No caso da candidata olhos de... Aceito sugestões.

quarta-feira, outubro 13, 2010


Esdrúxulo

Começou o segundo turno, e nunca antes na história deste país se defendeu tanto a sustentabilidade. Todos atrás dos 20 milhões de votos de Marina Silva, Serra e Dilma mudaram seus discursos, mesmo que na real a sustentabilidade deles seja outra, afinal ser arrimo de família é isso, precisa sustentar o clã. Já a candidata Fake entrou pelo cano também com a questão do aborto, e agora está com bafo de hóstia, calo embaixo do braço de tanto carregar a bíblia, e lendo Kardec entre outras práticas religiosas, que pelas imagens fica evidente que não tem a menor afinidade. O pior é a evidência do voto a todo custo, sem a menor preocupação em defender o que realmente acredita, apagar o discurso anterior em detrimento de votos. Não é preciso muita massa encefálica para discernir a verdade da demagogia. Mas como isso é prática habitual do PT, não podíamos esperar outra atitude. Me amedronta saber que pessoas vão votar na candidata do PT por ser mulher, me amedronta porque já vi este filme, o povo votou no Collor porque era bonito, no mesmo Collor que hoje apóia a candidata do governo. E assim como Collor essa mulher surgiu do nada, sem histórico, sem passado, dizendo uma coisa hoje desmentindo amanhã, construída para vender a imagem que de longe sabemos que não condiz com a verdade. Votem no candidato por mérito, não por simbologia.